Rodrigo Cintra

Categorias

Histórico

Escova de cabelo: veja qual o melhor tipo e as cerdas certas para seus fios

Universa

17/07/2018 05h00

Escova não é tudo igual! Veja como acertar na escolha da ferramenta (Foto: Getty Images)

Para acertar no modelo de escova e ter o acabamento capilar dos sonhos, aprenda a escolher a melhor opção de acordo com a espessura e textura do fio, o comprimento do cabelo e até a maneira que deseja finalizá-lo. Existem versões que favorecem o styling e dão aquela mãozinha para lisas, onduladas, crespas e cacheadas.

Escovar o cabelo de forma correta e todos os dias colabora para manter os fios saudáveis, desembaraçados e longe dos danos causados pela quebra. Comece pelas pontas, depois passe para o comprimento e finalize passando-a desde a raiz. Não coloque muita força. Se possível, evite usar a escova de outra pessoa, pois ela pode ser agente de caspa, seborreia e até piolho, mais comum nas crianças.

Veja também

Entenda a finalidade dos principais tipos de escovas e cerdas:

Raquete

Todo mundo precisa de uma. Indicada para desembaraçar os fios de forma suave, sem quebrá-los ou prejudicar sua elasticidade.

Fininha

Parceira dos penteados, com seu diâmetro menor permite modelar, cachear e dar acabamento aos fios curtos.

Térmica

É ideal para usar com secador. Mas atenção: os fios não podem estar molhados. Certifique-se de tirar 80% da umidade deles com a toalha primeiro, pois a alta temperatura em contato com o cabelo encharcado vai “fritá-los”.

Vazada

O tipo mais usado para fazer escova. Cai melhor em quem tem fios lisos e ondulados.

De madeira

Indicada para evitar o frizz e os fios arrepiados e também para quem tem cabelo ralo.

De cerâmica

É ativada pelo calor do secador, diminuindo o frizz. Tem cerdas mistas de náilon e javali. Muito boa para auxiliar no styling em cabelos lisos e ondulados.

Com cerdas duplas

É o modelo queridinho de Kate Middleton. Também é ótima para desembaraçar.

Com cerdas mistas

Perfeita para fios frágeis e também para os crespos ou sensibilizados por processos químicos. A maioria das cerdas é natural, e a menor parte é composta pelas de náilon.

Com cerdas sem pontas

Recomendada para quem tem fios finos e sensíveis e também para quem tem extensões. Com ela, os fios não ficam presos.

Com bolinhas nas cerdas

Essa versão ajuda a massagear o couro cabeludo e, com isso, a distribuir a oleosidade acumulada na região.

 

Limpeza é essencial

Limpar a escova pelo menos uma vez por semana é fundamental. Uma dica é passar uma escova de limpeza para derrubar os fios presos nela. Se não tiver, dá para improvisar com um pente fino ou o cabo dele.

Você também pode deixá-la em uma solução de água e sabão ou água com xampu por 30 minutos ou, ainda, apostar em produtos específicos, como spray com ação antibactericida. As escovas têm vida útil, cerca de seis meses, se bem preservadas.

Sobre o autor

Quando o assunto é cabelo, o expert em transformações Rodrigo Cintra é referência: em 23 anos de carreira, o paulistano, co-apresentador do programa "Esquadrão da Moda", do SBT, coleciona prêmios e títulos como um dos profissionais de beleza mais completos do país. Ele compartilha toda sua expertise em palestras e workshops por todo o Brasil para mais de 15 mil cabeleireiros por ano.

Sobre o blog

Dicas, cuidados, além das principais tendências sobre cabelo no mundo e grandes inspirações para você se apaixonar e apostar já!

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Blog do Rodrigo Cintra
Topo